quinta-feira, 25 de setembro de 2008

MOVIMENTO PIJAMINHA


São necessários (principalmente) pijamas para as crianças que estão no IPO a fazer tratamentos de quimioterapia.

Após os tratamentos, os pijamas ficam muito sujos e gastam-se rapidamente.
Esta ideia surgiu há dois anos e hoje já é apelidada de *MovimentoPijaminha* pelo sucesso que têm tido e os esforços conseguidos!
As necessidades existentes passam pela falta de pijamas, pantufas, chinelos,meias, robes e fatos de treino.

Para todos a vida não está fácil, mas dentro das possibilidades de cada um há sempre espaço para participar, comprando ou obtendo junto de amigos e familiares agasalhos que já não sirvam.

No ano passado foram entregues 76 pijamas e o IPO ficou muito satisfeito com esta dádiva.

Este ano vamos repetir a façanha, e se possível ultrapassar este número.

Se divulgarem já estão a ajudar!!!

Ruca

Banda sonora da hora do almoço na creche...Boas recordações!

mister maker 8 - barco de esponja

Que giroooooo!

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Mais umas semaninhas e regresso ao trabalho!


O meu bebé lindo tem quase 5 mesinhos...o tempo passou depressa!
Tenho de aproveitar as semaninhas que faltam...
Em breve volto a trabalhar...
Já tenho muitas saudades!
Vai ser uma experiência nova, pois vou estar na Valência de ATL...
Um desafio...
Espero estar à altura...

Beijokas para vocês***



segunda-feira, 22 de setembro de 2008


Adaptação das Crianças e Pais à Creche


Uma das principais preocupações dos Pais em relação à iniciação da Creche dos seus filhos é a Adaptação.
Quando os pais colocam o seu filho numa creche são portadores de vários receios e de imensas dúvidas:

- Será que o meu filho vai ficar bem?
- Será que lhe vão dar a devida atenção?
- Será que o vão mimar?
- Será…? Será… ?

Existem demasiadas dúvidas que perturbam muito os pais, principalmente nos primeiros dias de creche.
Todas estas dúvidas e inquietações, que tanto atormenta os pais, são compreensíveis e legítimas, pois vão deixar os seus pequenos “tesouros” com pessoas que lhes são estranhas; no entanto sem se aperceberem os pais são os principais transmissores de ansiedade e angústia para as criancinhas.


É geralmente conhecido que os bebes se adaptam com mais facilidade a tudo o que é novo, como novas situações e ambientes, e quanto mais cedo a criança entrar para a creche, mais fácil será a sua Adaptação, apesar de ser uma fase mais complicada para os pais, porque os seus pequenotes são demasiado indefesos.


Nesta fase inicial da vida de uma criança, principalmente quando vai para a creche, há sempre um adulto na sala com quem a criança irá criar laços afectivos mais fortes e intensos, a esta situação, chama-se Vinculação. Esta Vinculação vai dar/trazer à criança uma maior segurança, que vai fazer com que esta se sinta protegida e consiga então, transmitir aos pais que está bem, serena e tranquila sempre que vai para a creche.

Por norma, numa fase inicial, aconselha-se os pais que nos primeiros dias a criança fique poucas horas na creche, isto acontece porque a ansiedade dos pais é grande e reflecte-se nas crianças.
Na minha experiência profissional, como Educadora de Infância, e a trabalhar há 4 anos em salas, cujas crianças provém do meio familiar, normalmente tenho uma reunião individual antes do inicio do ano lectivo com os pais de cada criança, aos quais peço para que na primeira semana de creche a Adaptação seja gradual, isto é, no 1º dia de creche dos filhotes, convido os pais a permanecerem na sala com as crianças toda a manhã, no 2º dia já deixarão a criança 1 hora na sala e os pais vão-os buscar após essa hora, no 3º dia a criança já fica toda a manha e já almoça, e vai embora com os pais depois de almoçar, no 4º dia a criança para além de ficar toda a manhã, de almoçar também já irá dormir a sesta na creche e no 5º dia a criança permanecerá um dia completo na creche.

Uma Adaptação feita nestes moldes ajuda a criança e os pais a se adaptarem de uma forma lenta e gradual, diminuído assim a ansiedade de ambos.
Costumo dizer que a Adaptação dos pais é mais difícil que a das crianças, ou seja, uma criança habitua-se mais facialmente à separação da figura parental do que os pais à separação dos filhos.

Terminada a primeira semana de Adaptação, é também importante referir que se a criança tiver algum objecto que a acompanha sempre (boneco, fralda de pano, etc.) é importante que esse objecto venha sempre com a criança, pois é chamado de Objecto de Transição. Estes objectos designados por Winnicott, por objectos transaccionais, são usados pela criança como um suporte na conquista da autonomia, uma vez que são uma espécie de substituto materno e permitem à criança organizar-se na ausência das figuras de referência. As crianças ao se sentirem sozinhas na cama, por exemplo, na creche ou jardim de infância, usam esses objectos para se sentirem mais confiantes.


Há diversos motivos que causam esta ansiedade, no entanto é importante que não se transmitam os receios, as angústias e as preocupações dos pais para as crianças, é por isso essencial que haja segurança por parte dos pais, quando vão deixar os filhos na creche, mesmo que a criança chore ou implore para não ficar ali, é importante que os pais não cedam a este tipo de “chantagem” feita pelas crianças.


A firmeza dos pais tem um papel extremamente importante nesta hora, pois há-que explicar aos filhos com todo o carinho e amor que os vão buscar ao final do dia, porque apesar de gostarem muito deles têm de ir trabalhar. A criança aos poucos vai percebendo a rotina e saberá que ao fim do dia os pais a vão buscar, criando assim na criança segurança e estabilidade.


Neste período de ansiedade de separação e angústia a criança pode mostrar relutância em deixar a mãe, rabugenta e difícil de consolar, contudo este comportamento da criança acabara por desaparecer. Este período da Adaptação não tem tempo certo de duração, vai depender de cada criança e de cada caso.
Estima-se que apenas cerca de 3% a 4% das crianças não se conseguem adaptar à creche e isto normalmente acontece por culpa de familiares directos (pais, avós, …) que reagem mal às rotinas e regras que serão impostas na criança.


Por último, gostaria de deixar a minha opinião pessoal aos pais: “Quando o seu filho fizer uma “birra” a dizer que não quer ir para a creche, poderá esta apenas querer testar os pais para ver se consegue fazer com que estes cedam, e assim atingir os seus objectivos, de fazer apenas o que deseja. Perante esta situação os pais, por muito que lhes custe, devem dar um mimo à criança, dizer-lhe que ela tem de ficar, porque os pais a vão buscar, e devem sair da creche sem dar demasiada importância à “birra”, apesar de ser muito complicado para os pais, este comportamento é o mais adequado.



conteúdo gentilmente cedido por :
Educadora Carina Portinha

Fonte http://www.guiadafamilia.com/

Reciclar para brincar!

header picture for driving in my car

driving in my car


Cut all the flaps off the bottom of a box.
Cut the long flaps off the top. Tape the short ends down.
Wrap the box with coloured paper. Collect together some bits and bobs for decoration - paper cups, cardboard tubes, paper bowls, silver foil, coloured paper.


Measure the paper against the box and cut to size. Glue the ends down first and then the sides.

Make the headlights by wrapping the two paper bowls in foil. Stick two paper circles inside.



To make the grill wrap a box in foil and add black stripes for the grill part. Stick them on with double-sided tape. To make the bumpers wrap two tubes in foil.
For the rear lights - cut two paper cups in half. Wrap them in foil. Glue some red coloured paper inside them. Attach to car.
To make the wheels - glue two circles of paper of different sizes and colour to a paper plate or bowl. Paint�on the�tyres. For the shoulder straps attach ribbon to box and adjust to fit.
Reprinted with permission from 'The Dressing-Up Book', Dorling Kindersley Books.

domingo, 21 de setembro de 2008


1 - Estabeleça regras claras

2 - Faça com que seus alunos as compreendam

3 - Determine uma sanção para a quebra das mesmas

4 - Determine uma recompensa para seu cumprimento

5 - Peça apoio de seus colegas de equipe

6 - Estabeleça estratégias em conjunto com a equipe; os alunos precisam perceber a hegemonia das atitudes

7 - Respeite seus alunos

8 - Ouça-os

9 - Responda ao que lhe for perguntado com educação e paciência

10 - Elogie boas condutas

11 - Seja claro e objetivo em suas intervenções

12 - Deixe claro que o que é errado é o comportamento, não o aluno

13 - Seja coerente em suas expectativas

14 - Reconheça os sentimentos de seus alunos e respeite-os

15 - Não lhes diga o que fazer; permita que cheguem às suas próprias conclusões

16 - Não descarregue a sua metralhadora de mágoas em cima deles

17 - Encoraje sempre

18 - Acredite no potencial de cada um e no seu

19 - Trabalhe crenças negativas transformando-as em positivas


20 - Seja afetuoso(a)


Fonte: Manual do Professor. Revista Profissão Mestre, n108 set. 2008. p.38

Amanhã começa o Outono



Uma árvore em flor fica despida no outono. A beleza transforma-se em feiúra, a juventude em velhice e o erro em virtude. Nada fica sempre igual e nada existe realmente. Portanto, as aparências e o vazio existem simultaneamente


Quando algo que você goste acabar, ou simplesmente ir embora, lembre-se que as folhas do outono não caem porque querem
e sim porque é chegada a hora



Quero apenas cinco coisas..
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta coisa são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser... sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando.




Sei como voltar:
as cores do meu outono
desenham caminhos.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Sopa

Uma fofura...

18 coisas que NUNCA deve fazer ao seu Bebé:
  1. Nunca deixe o seu bebé brincar com balões ou sacos de plástico – existe o perigo de asfixia.
  2. Nunca deixe brinquedos com cassetes perto do bebé.enquanto ele dorme. A fita da cassete pode causar estragulamento.
  3. Nunca deixe o seu bebé petiscar bolachas ou pão durante todo o dia. Isto faz com fique menos interessado em comida mais nutritiva além de lhe tirar o apetite.
  4. Nunca deixe o seu bebé com alguém que não conhece.
  5. Nunca ponha imans na porta do frigorifico porque podem partir-se em pedacinhos pequenos e causar asfixia.
  6. Nunca adie a decoração do quarto do bebé porque pode não ter tempo depois do bebé nascer.
  7. Nunca acresecente comida sólida, como cereais no biberão do seu bebé. Além de perigo de asfixia, adiciona calorias desncessárias.
  8. Nunca vista roupas com fitas ou atilhos soltos, ao seu bebé. Podem causar estrangulamento.
  9. Nunca ponha muitos brinquedos grandes no parque de um bebé que se consegue por em pé. Ele pode utilizá-los para saltar de lá para fora.
  10. Nunca dê ao bebé comida com particulas pequenas e sólidas, tal como nozes, pipocas ou passas.
  11. Nunca aqueça biberões no micro-ondas porque o leite pode ficar demasiado quente e queimar o bebé.
  12. Nunca deixe objectos soltos no banco de trás do seu carro quando está lá o bebé. Se o carro parar de repente, os objectos podem cair para cima do bebé.
  13. Nunca deixe o bebé sozinho no carro estacionado por razão nehnuma.
  14. Nunca deixe o seu recém-nascido com uma criança pequena, mesmo que eles pareçam entender-se. As crianças pequenas podem por em perigo o bebé mesmo sem terem noção disso.
  15. Nunca deixe o seu bebé sozinho, a não ser no berço.
  16. Nunca deixe o seu bebé sozinho na banheira.
  17. Nunca deixe as janelas abertas.
  18. Nunca deixe o seu bebé dormir com um biberão de sumo ou mesmo leite. Pode causar cárie dentária.

Copyright 2006. Jonathan TengVisite: www.babycaresecrets.com


A Alimentação dos Bebés


Pode começar a dar comida sólida ao seu bebé, a partir dos 4 meses de idade.
Quando um bebé está pronto para se iniciar no mundo dos sólidos, mostra alguns sinais como começar a beber menos leite, abrir e fechar a boca quando a vê comer.
Não adie esta etapa para depois dos 6 meses, pois aí será mais difícil para o bebé aprender a coordenar entre receber comida na boca e engolir, pois estará habituado apenas a mamar.
Não ofereça comida sólida ao seu filho antes de ele completar os 4 meses, pois o seu sistema digestivo ainda não está preparado.
Existem opiniões diferentes entre os pediatras, uns aconselham começar pelas papas lácteas, outros pelas sopas de legumes. A vantagem de se começar pelas sopas, é a de que o bebé depois de já estar habituado a comer sopa, aceita bem o sabor da papa por esta ser doce. Se começar pela papa, será mais difícil aceitar posteriormente a sopa, por esta não ter um sabor tão agradável.
Preferencialmente a primeira refeição sólida será a do almoço.

Prepare o bebé:
- Tente dar-lhe a comida antes da hora do banho pois provavelmente ele vai precisar de um depois.
- Coloque-o numa cadeirinha apropriada.
- Não é preciso esterilizar o prato nem a colher. Lavar normalmente é suficiente.
- Ponha sempre o babete ao seu bebé.
- Ponha uma pequena quantidade de sopa na colher e ofereça ao bebé, ele vai sugar a colher como faz com o biberão e fará uma cara estranha pois está habituado ao leite no biberão.
- É provável e normal que ele deite não engula e deite fora. Não se preocupe, continue a oferecer-lhe. Ele habituar-se-á.
- Se ele chorar e se recusar a comer, desista e tente novamente uns dias mais tarde.
- Se ele gostar dê-lha e comida toda.
- No fim ofereça-lhe um pouco de água no biberão.
Se o bebé gostar continue a dar-lhe, todos os dias, comida sólida. Atenção que se ele comer pouco deve dar-lhe o biberão ou de mamar seguidamente. Gradualmente ele irá comendo mais sólidos e menos leite.
O que colocar na sopa?
Até o bebé completar 6 meses a sopa deve apenas conter vegetais. Estão excluídas as leguminosas, couves e também não se deve abusar dos espinafres. A incluir batata, abóbora, cenoura, alho francês, alface, feijão verde, por exemplo.
Aos 6 meses poderá incluir também carne – frango, borrego ou vitela apenas. Uma colher de chá por cada tigela de sopa.
Aos 8 meses o peixe pode ser adicionado, mas apenas peixe branco, como a pescada e a maruca, por exemplo. Os peixes como o salmão e o atum têm demasiada gordura e por isso não são aconselháveis antes de 1 ano de idade.
Adicione também um fio de azeite à sopa do seu bebé.
Aos 4 meses o bebé também pode comer fruta como banana madura esmagada, maçã e pêra cozidas.

Comida proibida antes de 1 ano de idade
- Ovos – os ovos podem causar alergias, especialmente a clara. Comece por dar apenas a gema e quando introduzir a clara esteja atenta.
- Mel- o mel pode ter esporos de Clostridium botulinum que pode causar botulismo.
- Citrinos – podem provocar reacções alérgicas.
- Não lhe dê bebidas com açucar no biberão pois pode causar cárie dentária.
- Amendoins – causam alergias.
- Marisco – pode ser tóxico e causar alergias.
Os sinais de alergia ou má reacção aos alimentos incluem vómitos, diarreia, irritação na pele, inchaços, dor abdominal, tosse, flatulência, comichão e muco nasal. Se o seu bebé apresentar algum destes sintomas depois de consumir um alimento novo deve consultar imediatamente o seu pediatra. Os sintomas aparecem frequentemente poucas horas depois da refeição.

artigo retirado daqui

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Rosa Bigadaaaaa !



A Rosa, do blog Criancices, ofereceu ao Jardim este prémio brilhante...

Os jardins agradecem e retribuem a nomeação, pois a Rosa "cidadã do mundo" tem feito um excelente trabalho,
focando sempre temas actuais
e de extrema importância para todos.



O prémio Brigth Webblog é atribuido a sites ou blogs que se destaquem pelo seu "brilho" na blogsfera.

Após receber este selo os premiados deverão passá-lo a 7 blogs que achem brilhantes.


Ofereço então este prémio aos blogs que se destacam pelo "brilho" (os blogs que "brilham" são muitos, contudo não posso escolher todos...com imensa pena minha) :




Criancices
Da Janela do Meu Jardim
Doces Sorrisos
Educar Partilhando
Maria Rapaz
Reino Encantado das Almofadas
Ilustraciones Infantiles


Parabéns aos nomeados e continuem a brilhar SEMPRE!!!!!!!!

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Já devem ter reparado que adoro Fotografia!

Penso nela como uma arte mágica, que capta um momento, um sentimento, uma sensação...e eterniza-o!

Nas minhas pesquisas encontrei um nome : BethJansen,

que para mim é sinónimo de TALENTO.

Adorei as suas fotos, a cor, a sensibilidade, enfim...a magia!

Deixo-vos uma pequena amostra...deliciem-se!

E digam coisas!


Beijinhos floridos***














Para ver mais no Flickr

E

Simplesmente um Encanto (com música)...
cliquem aqui

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Mensagem para o novo ano lectivo


"Sê...

Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,

Sê um arbusto no vale, mas sê o melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva e dá alegria a algum caminho.
Se não puderes ser uma estrada, sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...Mas sê o melhor no que quer que sejas."

Pablo Neruda

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Ideias em Feltro
















Baby Art - Os Primeiros Passos com Arte


Todos os bebés são artistas.
É o que garante Anna Marie Holm, autora do livro Baby-Art: "Os Primeiros Passos com Arte". Basta dar tinta, pincel, lápis e deixá-los expressar livremente. "Mas nada de ficar a analisar os rabiscos infantis! O que menos importa é o resultado" - diz a educadora dinamarquesa, que trabalha com crianças há quase duas décadas.

O segredo que descobriu, depois de 17 anos a trabalhar com crianças na Dinamarca, é simples: basta deixar os pequenos livres para fazer experimentações e se divertirem com o resultado. "Os pais e as mães podem acompanhar, mas de igual para igual e sem interferir demais", sugere. Com a mão na massa - e nas tintas, papéis, pincéis, barro... - meninos e meninas percebem as diferentes cores, texturas, cheiros e sons do ambiente à sua volta. E logo a brincadeira se revela um óptimo estímulo para os sentidos.
O que vale, na opinião dela, é a oportunidade de os pequenos conhecerem as cores, nuances e texturas do mundo e interagir com o ambiente ao seu redor.

Qual a idade certa para começar?

Por volta dos 5 meses, a criança já consegue segurar objectos e fazer movimentos que vão além de um simples reflexo. Esse é o momento de começar. Pode-se oferecer um lápis ou lápis de cera e observar enquanto o pequeno move as mãozinhas sobre o papel. Nessa fase, também é interessante deixá-lo brincar com jornais, pincéis e outras coisas para dobrar e amassar.

Como vê a expectativa dos pais nessa hora?

O meu recado para eles é o seguinte: não fique à espera que o seu filho, do dia para a noite, se transforme num pequeno Van Gogh. Aliás, os pais nem sequer devem questionar se a criança tem talento artístico ou não. Não há como saber. Se os bebês gostarem de arte, vão continuar a procurar isso naturalmente.

E se a criança não tiver vontade de experimentar o que lhe oferecemos?Oferecemos lápis e ele quer brincar com a vassoura? Damos uma folha de papel, mas ele prefere riscar a árvore?

Sem problema. Não force a criança e tente não exagerar nos estímulos. Existe um limite e, quando os pais não o percebem, o filho vai demonstrar. Se a pressão for grande, aí mesmo é que a criança vai deixar de lado a actividade.


O adulto precisa participar?

Ah, precisa. É uma tentação entregar o lápis e o papel à criança e sair de fininho para fazer outras coisas. Os pais devem participar da brincadeira sempre que possível. O que mais importa é estar com o filho, relaxar e brincar ao lado dele. Rabiscando e pintando, qualquer adulto se sente como se voltasse aos tempos de criança.


Brincadeiras criadas por Anna Marie de acordo com a faixa etária do seu filho.

Para evitar alergias e intoxicações, ofereça apenas tintas, lápis e giz não tóxicos. Antes de comprar, verifique se esses materiais são indicados para a faixa etária do seu filho.



5 a 12 meses

Esta é a idade para começar a desenhar.
A partir dos 5 meses o seu bebé pode-se divertir com pincéis, lápis e giz. Palavra de especialista. "Nessa idade, ele já estende o braço para agarrar objetos e, aos poucos, pode ser estimulado a pintar e rabiscar", explica a educadora e artista plástica dinamarquesa Anna Marie Holm.

A especialista lembra que, num primeiro reflexo, o pequeno pode levar a novidade à boca. Não se preocupe. "Faz parte da experimentação", explica. Mas, claro, tome cuidado. Com o tempo as mãos curiosas do mini artista vão arriscar outros movimentos, amassando o papel, pintando o rosto, as roupas, os cabelos... Mas calma ! Nada de querer impor limites à brincadeira e acabar com a confusão. "A proposta é não interferir, deixando o bebé livre para se expressar e explorar as possibilidades do ambiente", sugere Anna Marie.

Assim, se o resultado for uma grande confusão de cores, papel picado e o seu filho terminar coberto de tinta, palmas para ele!

Segundo Anna Marie, é dessa maneira que o bebê se diverte e, ao mesmo tempo, aperfeiçoa seus sentidos e sua criatividade.

Para evitar alergias e intoxicações, ofereça apenas tintas, lápis e giz não tóxicos. Antes de comprar, verifique se esses materiais são indicados para a faixa etária do seu filho.


Meias musicais: Improvise um varal bem próximo do chão e pendure algumas meias velhas, colocando um guizo dentro de cada uma. Enquanto pinta os pares, com pincel e tinta, o bebê vai-se divertir ouvindo os sons.


Roupas coloridas: Uma camisa usada pode servir de tela para o pequeno artista. Agora, ele pode usar as mãos para colorir a peça - ou até mesmo um pincel ou uma escova velha. Lembre-se: ele é quem decide. E não se assuste se, de uma hora para outra, passar a colorir o corpo e a própria roupa que está a usar. Faz parte da brincadeira.

1 a 3 anos


Um pincel molhado de tinta, um papel aberto no chão e liberdade para fazer a maior confusão - a receita para envolver o seu filho no mundo das artes é simples. "É só dar espaço à criança, não impor muitos limites e deixá-la expressar-se naturalmente. As atividades propostas por Anna Marie são super divertidas, deixam os pequenos mais relaxados e estimulam o desenvolvimento motor. "É fazendo arte que as crianças desenvolvem a sensibilidade e adquirem uma consciência maior dos sentidos", ressalta a especialista.




De tudo um pouco: Camisas velhas, panos, sapatos, chapéus, bolsas e meias podem - e devem - ser aproveitados pelo pequeno artista. "A ordem é justamente fazer arte em qualquer lugar e sempre com muita improvisação. O seu filho não precisa de materiais especiais nessa fase", lembra a artista.

Papel colorido: "Por que é que a superfície onde a criança vai pintar precisa ser branca?", questiona a educadora. Ela recomenda variar um pouco esse suporte - o papel branco - oferecendo também tecidos estampados e folhas coloridas para a criança pintar. Isso, garante, estimula a percepção das cores.

Jornal na parede: Estenda o jornal num cavalete improvisado, ou prenda as páginas numa parede. Com pincéis de vários tamanhos e tinta preta diluída em água, seu filho poderá pintar o texto e as ilustrações como quiser.
Gravuras de beijos: Separe um batom vermelho e algumas folhas brancas. Mostre à criança como pintar a boca e imprimir beijinhos no papel. Depois, deixe-a brincar sozinha e se divertir com o resultado.


3 a 5 anos

Uma praça, um jardim, um quintal, uma varanda - qualquer espaço, de preferência ao ar livre, serve de ateliê infantil. Basta dar os materiais certos e uma boa dose de liberdade. "Papéis e até objectos velhos, como camisas e meias, podem ser utilizados pelas crianças nessa idade",


Pintura rupestre: Com lápis de cera na mão, a criança pode desenhar sobre as pedras da praça ou do quintal. Você também pode adaptar a brincadeira, liberando o muro da casa ou pedaços de madeira para o pequeno artista fazer suas intervenções.


Rabo rabisca: O primeiro passo é construir uma trilha de folhas de papel. Basta emendar várias e, depois, colocá-las no chão. Pegue num cordão comprido, molhe uma extremidade na tinta e pendure a outra na cintura do seu filho. Enquanto ele corre, dá voltas e saltita sobre o caminho de folhas, o rabo improvisado vai riscando sem parar.


Fonte: bebê, Editora Abril S.A