domingo, 14 de janeiro de 2007

Movimento da Escola Moderna


O Modelo do Movimento da Escola Moderna
assenta em três subsistemas integrados de organização
do trabalho de aprendizagem

Fig. 1. Sistema de organização cooperada

Estruturas de cooperação

O processo de cooperação educativa tem-se revelado como a melhor estrutura social para aquisição de competências. Na aprendizagem cooperativa o sucesso de um aluno contribui para o sucesso do conjunto dos membros do grupo. A cooperação educativa, o trabalho a pares ou em pequenos grupos para atingirem o mesmo fim contraria a tradição individualista e competitiva da escola. Pressupõe que cada um dos membros do grupo só pode atingir o seu objectivo se cada um dos outros o tiver atingido também.

Circuitos de Comunicação

Estabelecem-se circuitos múltiplos de comunicação que estimulam o desenvolvimento de formas variadas de representação e de construção interactiva de conhecimento.

Esta matriz comunicativa é radicada por circuitos de comunicação das aprendizagens e de fruição dos produtos culturais, para que todos possam aceder à informação de que cada um dispõe e aos seus produtos de estudo e de criatividade artística e intelectual.

As trocas sistemáticas concretizam a dimensão social das aprendizagens e o sentido solidário da construção cultural dos saberes e das competências instrumentais que os expressam (a escrita, o desenho, o cálculo).

Participação democrática directa

As atitudes, os valores e as competências sociais e éticas que a democracia integra constroem-se, enquanto alunos e professores, em cooperação, vão experienciando e desenvolvendo a própria democracia na escola. Esta relação democrática pressupõe a gestão cooperada do currículo escolar – o que compreende o planeamento e a avaliação como operações formativas de todo o processo de aprendizagem. A circulação e a utilização da informação e da cultura têm de ser democráticas, dando sentido social a todo o saber.

A democracia é a estrutura de organização que se firma no respeito mutuamente cultivado, a partir da afirmação das diferenças individuais reconhecendo o outro como semelhante. Esta postura de diálogo é o instrumento fundamental de construção de projectos comuns e diferenciados.

Trata-se de gerir colegialmente, em conselho de cooperação educativa, tudo o que à turma diz respeito. O cimento da organização formadora é a ética – o esforço obstinado de tornar congruente a utilização dos meios e dos modelos organizativos da educação com os seus fins democráticos.

retirado daqui


4 comentários:

Susy disse...

Também já ouvi falar muito sobre o MEM e agrada-me muito o trabalho que é desenvolvido segundo este modelo... mas ainda gosto mais do Reggio Emília... :)

sara marques disse...

Estou a começar a trabalhar segundo o MEM e o High Scope. está a ser um pouco complicado, mas temos tinho o auxílio de uma educadora. Também visitámos sala onde estes modelos estão a ser aplicados e o resultado é fenomenal. As crianças implicam-se muito no trabalho e há uma maior organização o que no início me parecia difícil. Vamos ver como vai correr na minha sala. Obrigada por partilhares connosco.

Dreamlu disse...

Desejo-te Boa Sorte Sara! De início é sempre complicado...mas depois tudo vai ganhando sentido...e as crianças vão "crescendo" ...e nós também, com elas! bjs

Su disse...

Olá! A pesquisar na net sobre o MEM, encontrei os teus blogs, que gostei muito!

Fez-me sentir à vontade para te perguntar se conheces alguma escola que siga o MEM na zona do Oeiras ou Amadora. Estou a encontrar grandes problemas na escola onde está o meu filho, um miúdo de 5 anos muito activo, pois não compreendem e passa o tempo todo de castigo. Antes ele estava num infantário onde seguiam este método e estava muito bem, mas fechou e tive de o mudar.

Peço desculpa por este texto longo e pelo pedido, mas estou muito preocupada com o desenvolvimento do meu filho e não sei onde procurar...

Convido-te para o meu blog. Podes perceber melhor como ele é e o que se passa na escola dele.

Obrigada e um beijinho!